quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Análise do CD "Confiarei", de Thiago Rodrigo Banda

Juntos há quase dois anos, os integrantes da Thiago Rodrigo Banda foram rápidos em apresentar ao público a primeira produção musical do grupo. Isso porque Thiago Rodrigo, vocalista e líder da banda, já estava com um projeto na gaveta. Era só questão de amadurecer a ideia e esperar o momento certo. O encontro de Thiago com Daniel (teclado) e Jefté (bateria) pelos corredores da Assembléia de Deus em Joinville deu o start para que o projeto saísse do papel, ganhasse fôlego e fosse de fato concretizado. Com algumas músicas sendo cantadas nos cultos da igreja, em eventos pela cidade e também bastante executadas na rádio 107,5 FM, naturalmente surgiu uma boa expectativa a respeito do primeiro CD da banda. O álbum viria em junho, inaugurando oficialmente a trajetória do trio.

Confiarei” soma dez canções, a maioria com letras de Thiago Rodrigo, e apresenta temáticas evangelísticas, mensagens de edificação e até uma balada romântica. O álbum tem produção e participação instrumental do reconhecido guitarrista Marcelo Vieira e se identifica por compor um recorte musical que atravessa diversas nuances do rock e do pop, revelando algumas influências técnicas dos integrantes, como Third Day, U2 e Coldplay.
A faixa de abertura do CD é “Quero Mergulhar”. Apesar da estrutura simples, a música tem um levada pop gostosa de ouvir e uma letra que “pega” fácil. A batida bem marcada da bateria e algumas quebras do ritmo no tempo certo dão motivos para seguir em frente e “mergulhar” nas outras faixas.

Te Amo” tem na letra uma abordagem muito semelhante à primeira música, parecendo até continuação, mas o que chama atenção aqui é que a faixa começa pelo refrão, coisa não muito comum em gravações mas hábito corriqueiro nas ministrações de louvor nas igrejas e em eventos. Isso é reflexo da experiência dos integrantes adquirida junto aos grupos de louvor dentro da igreja, ambiente com certa informalidade e contato direto com o público. E a canção é mesmo ideal para ser cantada ao vivo, pelo ritmo vibrante e convidativo que possui. O álbum poderia ter iniciado com ela.

A música seguinte é a faixa-título “Confiarei”. Tem uma letra bem colocada, num tom marcadamente evangelístico, e uma condução envolvente, embora isso seja comum nas músicas cristãs contemporâneas. Ela poderia manter com confiança a responsabilidade de ser uma das músicas de trabalho da banda, mas peca num detalhe incômodo: a introdução é praticamente igual à música “Pela Fé”, do cantor André Valadão. Intencional ou acidental, o fato é que essa referência acaba comprometendo a faixa inteira, justo naquela em que a força vocal de Thiago é bem evidente. Uma pena (ou algo bom, para quem curte muito André Valadão).

O deslize da terceira faixa provoca certa desconfiança e deixa o ouvinte de sobreaviso. Mas “Sou Tua Noiva” – quarta música – não deixa a peteca cair. Com letra do produtor Marcelo Vieira, a faixa faz o som dos teclados escorregar pelos ouvidos e causa boa sensação. Leve e redonda, sem tropeços, é uma canção para todo mundo gostar.

A quinta faixa vem no ritmo da anterior e traz uma harmonia bacana entre os instrumentos e a voz. “Igual A Ti” é bem preenchida, tem letra curta mas bastante reflexiva, e dá para ouvir várias vezes seguidas sem cansar. Isso é um aspecto místico da música em geral e depende muito de quem ouve. Não deixa, no entanto, de ser um ponto positivo, já que muitas canções são enjoativas logo de início.

Se o álbum tem uma faixa dispensável, essa é a sexta: “Vou Lutar”. Não vale a pena lutar por ela. Não que a música seja ruim em si, mas ela não provoca nenhum espanto nem nenhuma admiração e, além do mais, ainda faz lembrar (de novo) do repertório pouco criativo de André Valadão. O clima cinzento e seco da música a deixa muito fraca e, por isso mesmo, não consegue atender a expectativa do ouvinte.

Eu Quero Ir”, a faixa número 7, está no mesmo nível que a 5, ou até um pouco além. Tem um ritmo bem equilibrado, com subidas e descidas, e um refrão fácil de pegar que incentiva a cantar junto. A composição, de autoria do Grupo Judá, nome conhecido no circuito das igrejas da cidade, é responsável por dar uma “virada” no aspecto das músicas até então apresentadas. Isso porque as músicas seguintes têm uma identidade muito própria, destoando das demais e personalizando o trabalho de produção da banda. O melhor do CD parece ter ficado na parte final...

A baladinha romântica aparece na oitava faixa. “Te Conheci” é bem conduzida, bem tocada e bem apresentada, e segue num ritmo que só deve desagradar quem tem gostos muitos exóticos. Cantada como uma declaração de amor, a letra está bem escrita e, embora sem grandes pretensões, consegue fugir de algo muito convencional. É o tipo de música que cumpre com competência seu objetivo. E ainda traz uma graça a mais.

A penúltima música é forte candidata ao posto de melhor faixa do álbum. A mensagem de “Até Quando” apela àqueles que estão longe de Deus, é um convite à restauração do relacionamento com Deus. A letra de uma inspiração emocionante e o ritmo num balanço bem cadenciado forma um fio que conduz melodia e mensagem num encaixe perfeito. A música é lenta, porque precisa ser, e reflexiva, porque também precisa ser. O propósito específico da canção reclama para si um tom intimista, sensível e pessoal que consegue ser alcançado. Se bobear, ela te faz chorar. Mesmo!

A música bônus “O Teu Amor” é a faixa que encerra o álbum. E encerra muito bem, com um reggaezinho de levantar poeira, acompanhado de uma letra descontraída e bem humorada (mas nem por isso menos engajada espiritualmente). Ótima para se ouvir numa sexta-feira de sol.

No geral, as muitas referências que se cruzam em “Confiarei” despersonaliza o caráter autoral do trabalho da banda, percebida apenas em algumas canções. Alguns trechos lembram características presentes em Filhos do Homem, Third Day ou Heloísa Rosa, que são elogiáveis, e outros, de aspectos não tão elogiáveis assim, remetem a certas produções já bastante massificadas e exploradas. A expectativa que fica é que, a partir do encontro de estilos e referências (boas ou ruins) marcados nesse álbum, Thiago Rodrigo Banda encontre o próprio caminho e, com as condições necessárias, prossiga com esse projeto que tem em “Confiarei” não apenas um passo, mas já uma pequena caminhada. Vale o voto de confiança.

CONFIAREI
Ficha Técnica:
Produção Executiva: Thiago Rodrigo
Produção Musical: Marcelo Vieira
Vocal: Thiago Rodrigo
Bateria: Jefté Caetano
Teclados: Daniel Valter (Japa)
Guitarra: Marcelo Vieira
Baixo: Israel Vieira
Gravação: Área Estúdio (Joinville – SC)
Fotografia: Arlei Schmitz e Michel Ribeiro
Projeto Gráfico: MCR Design

Leia aqui no Amplificador um breve perfil do grupo e acompanhe pelo site oficial as atividades da banda.

Seja o primeiro a comentar

Related Posts with Thumbnails
Creative Commons License
O blog Amplificador, de [jb] João Batista, está sob uma licença Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 3.0 Brasil License.
Based on a work at Blog Amplificador.
Permitida a reprodução, total ou parcial, desde que citada a fonte e o autor, exceto para uso com fins comerciais.

Amplificador © 2008. Template by Dicas Blogger.

TOPO