sábado, 30 de maio de 2009

Vídeos da série "Os Evangélicos", do Jornal Nacional

O Jornal Nacional (TV Globo) apresentou nesta semana, de terça à sexta, uma série de quatro reportagens especiais sobre obras sociais desenvolvidas por algumas das principais denominações evangélicas do Brasil. A série procurou divulgar o trabalho feito por evangélicos no apoio a comunidades carentes e minorias desassistidas por políticas públicas de inclusão e assistência. Assembleia de Deus, Presbiteriana, Metodista, Batista, Adventista e Luterana foram as igrejas protestantes destacadas nas reportagens. Confira abaixo os vídeos do especial e saiba um pouco mais dessas ações que vão muito além das quatro paredes dos templos.

"Os Evangélicos" - 01:
Projeto Sinfonia da Fé (Assembleia de Deus - RJ)
Missão Evangélica Caiuá (Igreja Presbiteriana - MS)

"Os Evangélicos" - 02:
Projeto Viaduto do Pedroso (Igreja Metodista - SP)

"Os Evangélicos" - 03:
Projeto Reame (Igreja Batista - RJ)
Centro Adventista de Desenvolvimento Comunitário (Igreja Adventista - RJ)

"Os Evangélicos" - 04:
Fundação Luterana de Diaconia - Centro de Apoio ao Pequeno Agricultor
(Igreja Evangélica de Confissão Luterana - RS)

sexta-feira, 29 de maio de 2009

“O amor dobra os meus joelhos”

Penso nessa frase retirada do refrão da música de Lucas Souza Banda. Penso na força lírica, poética e teológica que ela encerra em si. Penso que é possível fazer música sem apelar, num extremo, para clichês vulgares do amor e, num outro, para abismais filosofias e subjetivismos. Penso na simplicidade e mistério do canto sem palavras, na música como som e sopro de sentidos únicos. Penso na letra que precisa dizer algo sem recorrer aos extremismos verborrágicos. Precisa tão somente ser bela, simples e forte. Bela, simples e forte como um poema de Manoel de Barros.

“O amor dobra os meus joelhos” tem beleza, simplicidade e força. É um verso que incita movimento, ação, balanço. Ele nos atropela, nos interfere, nos pede algo. Nos incomoda. Reclama do leitor uma atitude: dobrar os joelhos, levantar as mãos, se agasalhar em Deus. Na minha mente de labirinto, lembro de uma conexão com o verso da canção “Indiferença”, do Oficina G3: “O amor gera atitudes”. E também em “Novo Mandamento”, do Fruto Sagrado: “O que a gente faz fala muito mais do que só falar”. Ligando os pontos, penso que o amor dobra os meus joelhos, gera um agir, me faz calar para poder fazer. O amor é um impulso, um empurrão, um catavento, um rodopio. Não amar é ser pedra parada.

Enquanto os versos do Oficina e do Fruto Sagrado mirava a preocupação com o próximo, o verso de Lucas Souza vislumbra uma relação com Deus, o Amor em si. O amor como a vontade de Deus que nos tira da inércia. De pedra nos faz água que corre, jorra, respinga. Transborda-nos e molha quem está ao redor. O amor dobra meus joelhos, me faz reverente, revela minha dependência, desnuda minha fraqueza. Dobrar os joelhos já é um pedir sem orar. Um pedir de força, cuidado e proteção. Um pedir de filho carente de pai. De homem limitado diante do infinito e do desconhecido. De homem sem palavras convincentes, mas que sabe render-se.

O amor nos pede uma entrega. O despojo da nossa pretensa superioridade. Somos todos fracos. Nossa força é feita de medo e desespero. Dobrar os joelhos é reconhecer que somos pequenos demais diante de qualquer horizonte. Só o amor nos faz parte da paisagem. Eu já pedi à Deus novos joelhos. Joelhos dobráveis. Penso que preciso.

[jb]

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Oficina G3 libera clip de "Incondicional"

Depois de estrear nas TVs Gênesis e Boas Novas e no programa Conexão Gospel, clip da música "Incondicional", do álbum "Depois da Guerra", está disponível no Youtube. O vídeo, gravado em alta definição, foi filmado na Usina Santa Bárbara, em Santa Bárbara do Oeste (SP), e teve a direção de Hugo Pessoa. Confira:

(Via dotGospel)

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Em outras palavras... (10)

Dicionário do medo:
Caliginofobia - medo de mulheres bonitas.
Clinofobia - medo de ir dormir.
Cremnofobia - medo de precipícios.
Dementofobia - medo de se tornar doente mental.
Didascalinofobia - medo de ir à escola.
Peladofobia - medo de homens calvos.
Penterafobia - medo de sogras.

terça-feira, 26 de maio de 2009

Clássicos de terça: "Primeiro Amor"

A música "Primeiro Amor", composta por Carlinhos Félix, da banda Rebanhão, foi gravada pela primeira vez em 1987 para o álbum "Novo Dia", o quarto trabalho do grupo que surgiu em 1981 e encerrou oficialmente as atividades em 1999. Hoje um clássico da música evangélica, essa canção ganhou interpretação nas vozes de diferentes artistas.
Confira abaixo duas versões de "Primeiro Amor": com o Rebanhão, em 1987, e com Carlinhos Félix, em 2008, na gravação do DVD "Na Tua Sombra", registro de carreira solo do cantor:

Metal Bible - uma Bíblia para os metaleiros

A Bíblia do Metal é uma edição especial da Bíblia feita com o propósito de evangelizar e alcançar todos do mundo da música metal. A versão traz a íntegra do Novo Testamento numa linguaguem estilizada, com testemunhos e comentários de grandes nomes do metal cristão, como Stryper, Pantokrator, Narnia, Tourniquet, Mortification, Seventh Avenue, Divinefire e Petra, além de depoimentos de pessoas influentes no meio secular, como Nicko McBrain (baterista do Iron Maiden), Tommy Aldridge (do Whitesnake) e Brian Welsh (ex-guitarrista do Korn). Os artistas compartilham suas histórias e revelam o que Deus e a Bíblia significam para eles.

Conforme o site do projeto, o objetivo da Metal Bible é quebrar preconceitos e ideias erradas que muitos metaleiros têm sobre a Bíblia e ajudá-los a entender que ela não é um livro chato, mas uma obra viva e interessante que tem muito a dizer para todos nos dias de hoje. Fazer uma Bíblia do Metal significa enfatizar que a mensagem bíblica é algo para os metaleiros também.

A ideia começou ainda em 2004, em Estocolmo (Suécia), com Johannes Jonsson, da banda Metal Sanctuary. Impressa primeiramente em sueco e holandês, as bíblias são distribuídas por Jonsson e sua equipe de forma gratuita em shows e eventos. Versões em inglês, português, italiano, alemão, eslovaco, dinamarquês, finlandês e espanhol estão em andamento, mas num ritmo lento, pois dependem de financiadores, voluntários e parceiros nos países interessados. Para a edição brasileira, os grupos nacionais Death Poems, Post Trevor, Dynasty, Seven Angels e Try Again, além de Antidemon (que já figura na edição sueca), foram nomes convidados para participar.

Principais artistas que participam do projeto:
Nicko McBrain (Iron Maiden)
Tommy Aldridge (Whitesnake)
Peter Baltes (Accept)
Brian Welsh (ex-Korn)
Rob Rock
Michael Sweet (Stryper)
Ken Tamplin
Bob Beeman (pastor da Sanctuary International)
Karl Walfridsson (Pantokrator)
Shadows of Paragon
Luke Renno (Crimson Thorn)
Simon "Pilgrim" Rosén (Crimson Moonlight)
Christian Rivel (Narnia, Divinefire)
Matt Smith (Theocracy)
Ulf Christiansson (Jerusalem)
Michael Hero (Sons of Thunder, Hero)
Björn Stigsson (Leviticus)
Torbjörn Weinesjö (Veni Domine)
Slav Simanic, Richard Lynch (Saint)
Steve Rowe (Mortification)
Ted Kirkpatrick (Tourniquet)
Herbie Langhans & Mike Pflüger (Seventh Avenue)
Carl Johan Grimmark (Narnia)
Jani Stefanovic (Renascent)
Scott Waters (Ultimatum)
Batista (Antidemon)
John Schlitt (Petra)
Miguel Martinez (Exousia)
Gabriela Sepúlveda (Boanerges)
Rod Rivera & Johnny Bomma (Rivera/Bomma)

(Com informações do Gospel + e do Alternativa Gospel)

segunda-feira, 25 de maio de 2009

“A Música Gospel Perfeita”: ouça e conheça o ministério Ele Pula Nimim

O pessoal do programa Fórmula 3:16, da rádio 107,5 FM de Joinville (SC), está contribuindo com o movimento “A Música Gospel Perfeita”, que tem a ideia de protestar, de forma criativa, irônica e interativa, contra a falta de originalidade na música gospel brasileira (Saiba mais aqui). Ouça abaixo “Ele pula ni mim”, canção que dá nome ao ministério e música de trabalho do primeiro álbum do grupo, prometido para breve (ou não).

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Em setembro tem Santa Catarina Gospel Festival


Nos dias 3, 4 e 5 de setembro de 2009 acontece o 1º Santa Catarina Gospel Festival, no CTG Os Praianos, em Forquilhinhas, São José (SC). Durante o festival haverá, além da música, exposição multisetorial de livros, CDs, artesanato, comércio, indústria e prestadores de serviços.

Evento
O evento inicia às 18h do dia 3, com uma extensa programação, contemplando as modalidades da música, teatro e dança, além de levar à comunidade cristã momentos de comunhão, libertação e reencontro com a simplicidade do evangelho, com louvor e adoração. Já estão confirmadas para o evento diversas bandas de louvor do mundo gospel: Gabriela e Elias, Davi Sacer, Filhos do Homem, Nívea Soares, Pastor Antônio Cirilo e Banda Santa Geração, Rodolfo Abrantes, Mariana Valadão, André Valadão, Oficina G3, entre outras. Além dessas apresentações, o evento terá a participação de bandas regionais. Em uma área de 140 mil metros quadrados, o local terá dois palcos, um principal e outro alternativo, nos quais os grupos vão alternar as apresentações.

Exposições
O espaço oferece ainda uma área para exposição, oportunizando aos visitantes conhecerem os lançamentos e os catálogos de CDs, DVDs, gravadoras, editoras, revistas, roupas, acessórios, artesanato, além de uma ampla praça de alimentação. As crianças até 10 anos não vão ficar de fora da programação e podem contar com uma área educativa gratuita que oferece recreação monitorada.

Programação
Quinta-feira (03/09)
20h00 - Gabriela e Elias
21h30 - Davi Sacer e Banda
23h30 - Filhos do Homem

Sexta-feira (04/09)
20h00 - Nívea Soares e Banda
21h30 - Pr. Antonio Cirilo e Banda Santa Geração
23h30 - Rodolfo Abrantes e Banda

Sábado (05/09)
19h00 - Mariana Valadão e Banda
22h00 - André Valadão e Banda
23h30 - Oficina G3

Serviço
Local: Parque de Eventos CTG Os Praianos, em São José (SC)
Data do Evento: de 3 a 5 de setembro de 2009 (Quinta, sexta e sábado).
Realização: Ibade - Instituto Brasileiro de Apoio e Desenvolvimento de Eventos.
Produção: AC Feiras e Eventos.

Acompanhe outras informações no Orkut do Festival e também pelo blog http://www.scgospelfestival.blogspot.com/.

(Fonte: Ibade)

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Em outras palavras... (9)

Da complexidade da música:

(Via Chongas)

terça-feira, 19 de maio de 2009

Dayana Trindade estreia novo site


A cantora joinvilense Dayana Trindade está com site novo no ar. Fotos, downloads, agenda, mensagens e outras informações podem ser conferidas no endereço http://www.dayanatrindade.com/. Dayana congrega na Primeira Igreja do Evangelho Quadrangular em Joinville e sua produção musical mistura de forma competente a mensagem do Evangelho com a sonoridade da MPB. Amostras das faixas do primeiro álbum – “Um dia bem melhor” –, lançado em 2008, podem ser ouvidas no novo site e o CD adquirido nas livrarias evangélicas da cidade. Se o site vale o clique, o som de Dayana Trindade vale a apreciação. Visite, conheça e ouça.

Leia aqui matéria publicada no jornal A Notícia sobre Dayana Trindade.
Confira o vídeo da música “Daqui pra sempre”:

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Fernandinho em Joinville

Dia 13 de junho, sábado, Fernandinho e banda se apresentam em Joinville, na Expoville (pavilhão Nilson Bender), a partir das 20 horas. Os ingressos já estão à venda por R$ 20,00. Nos primeiros mil ingressos, quem comprar um leva outro grátis.
Locais de venda: Loja da Bíblia, Livraria Rema, Cia Gospel (Costa e Silva), Livraria Manancial (Big Americanas) e Livrarias Novo Milênio (Jaraguá do Sul e Guaramirim).

Vídeo divulgação:

Informações com Allison de Almeida, neste perfil.
Promoção: CA Eventos Gospel

UPDATE (26/05):
Abertura do show às 20h com:
Banda Redenção (Florianópolis)
Banda Seculus (Florianópolis)
Apresentação de Fernandinho a partir das 21h30.

Ingressos também à venda nas livrarias Canaã (São Francisco do Sul), Lírio dos Vales (Itajaí), Minas de Leitura (Camboriú), New Life (Balneário Camboriú), Mangrish e El Shaddai (Florianópolis).

Contato e informações:
(48) 3236-2102

O olho que tudo vê

O grupo de artistas Glue Society, com sedes em Sidney e em New York, reúne escritores, designers, diretores de cinema e publicitários. No site do grupo, em meio a trabalhos interessantes, chama a atenção uma exposição que traz imagens de eventos bíblicos como se fossem registrados pelo Google Earth. O trabalho de autoria de Eric Romano chama-se “God´s eye view” e retrata quatro paisagens: a travessia do Mar Vermelho, a crucificação, a arca de Noé e o Jardim do Éden. Romano modificou digitalmente fotografias de satélites para compor as obras, exibidas pela primeira vez em 2007 na famosa Feira de Arte Contemporânea de Miami. Não é recente, mas não deixa de carecer o registro aqui. (Com informações do G1)

A Arca de Noé:

Travessia do Mar Vermelho:

Jardim do Éden:

Crucificação:

terça-feira, 12 de maio de 2009

Joinville poderá ter Marcha Para Jesus em julho

O Conselho de Pastores de Joinville começou a discutir nesta semana a possibilidade de realização da Marcha para Jesus, em julho, na cidade. O evento aconteceu apenas uma vez em Joinville, há mais de dez anos, e não teve continuidade. Na ocasião, grupos de diferentes denominações evangélicas fizeram o percurso da praça da Estação Ferroviária até a praça Nereu Ramos, no Centro, onde a celebração foi encerrada com cânticos e pregações. A Marcha Para Jesus é um evento internacional de caráter interdenominacional que acontece anualmente em milhares de cidades pelo mundo. A primeira edição ocorreu em 1987, em Londres, na Inglaterra, com o nome de “Marcha da Cidade”. Nos Estados Unidos o evento é conhecido com “Jesus Day”. No Brasil, a marcha aconteceu pela primeira vez em 1993, em São Paulo, numa iniciativa liderada pela Igreja Renascer em Cristo. Em Curitiba, cidade que tradicionalmente organiza o evento, a Marcha Para Jesus 2009 já está confirmada para o dia 16, no próximo sábado. (Via jornal A Notícia, com informações da Wikipedia)

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Quem precisa de baterista?

Caso o baterista falte o ensaio, chame o trator!

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Éder Carvalho: voz, violão e inspiração


Ele nasceu e cresceu com a trilha sonora dos hinos congregacionais nos ouvidos. Filho do pastor Ezequiel Carvalho e da missionária Noeli de Oliveira Carvalho, da Assembléia de Deus em Joinville, Éder Carvalho, 22 anos, começou cedo sua relação com a música. Aos cinco anos já cantava na igreja, ao ritmo do violão tocado pelo pai. Com o incentivo dos pais-pastores, dos oito aos dezoito anos Éder dedicou-se ao estudo da música clássica. Todo o esforço lhe rendeu a formação em violão clássico, em teoria musical e em percepção musical, além do conhecimento em técnicas vocais e instrumentais. A soma da formação técnico-teórica com a vocação ministerial é a combinação perfeita para quem quer encarar a música não apenas como expressão de louvor e adoração, mas também como expressão artística capaz de valorizar a cultura evangélica. Através dos primeiros trabalhos de Éder Carvalho, ainda com grupos de louvor, o cantor demonstra saber lidar com essas possibilidades da música. Enquanto nas melodias aplica e aprimora o conhecimento instrumental, nas letras coloca em tons poéticos um sentimento forte de gratidão à Deus.

O lado “compositor” de Éder Carvalho começou em 1997, aos 11 anos, quando ele fez a escolha pessoal de aceitar Jesus Cristo como salvador, momento decisivo mesmo na vida de quem já nasceu em berço evangélico. A conversão lhe trouxe uma forte inspiração para escrever as letras de forma bastante espontânea. Em dois anos, cerca de cem composições já estavam escritas. Aos 18 anos, em 2004, com a experiência de ter ministrado em diversos lugares e com o trabalho de composição em continuidade, a oportunidade de gravar o primeiro CD surgiu como consequência. Músicas não iriam faltar: quase duzentas estavam na gaveta. O projeto foi trabalhado durante dois anos e, em outubro de 2006, o álbum “Mais de 3000 dias” debutava a discografia de Éder Carvalho. O título do trabalho é uma referência à soma dos dias desde a conversão do cantor até a data de lançamento do CD. O registro foi bem recebido pela igreja e ganhou destaque na lista das mais pedidas da rádio 107,5 FM durante várias semanas através das canções “Jovens” e “Palavras”.

Em 2009, depois de mais de dois anos com as músicas do primeiro CD sendo apresentadas em igrejas e em eventos, havia a expectativa para o segundo álbum, prometido desde o começo do ano. E agora, em maio, o novo trabalho ganha corpo e forma em mais um lançamento. “Visão de Deus – Acústico” traz em 15 faixas uma produção mais refinada, marcando uma evolução sensível e natural nas composições. “Ao teu encontro” e “Bendito é o Senhor”, disponíveis para ouvir no MySpace do cantor, são destaques do novo álbum.

O pop clássico feito por Éder Carvalho tem a influência dos aspectos doutrinários presentes no trabalho de Asaph Borba e no do ministério Santa Geração (Pr. Antônio Cirilo). Em termos de técnica musical, Eric Clapton e John Mayer são outras fortes influências. Todos os gêneros no leque de estudos do cantor – clássico, pop, rock, blues, jazz, bossa nova – estão marcados nas músicas de Éder Carvalho. Na voz e no violão, a técnica. Em Deus, a inspiração.

Confira os hits “Jovens” e “Palavras”, do CD “Mais de 3000 dias” (2006):




Links:
Site Oficial:
http://www.edercarvalho.com.br/
MySpace:
http://www.myspace.com/cantoredercarvalho
Perfil Orkut:
http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=2422767745885907978

Agenda de lançamento do CD “Visão de Deus – Acústico”:
Dia 09/05: Casa de Oração (Rua Bento Gonçalves, 74, Glória)
Dia 14/05: CEI – Bairro Fátima (Rua Fátima)
Dia 23/05: 1ª Igreja Presbiteriana Independente (Rua Rio do Sul, 389, Bucarein)
Dia 24/05: Assembléia de Deus (Av. Getúlio Vargas, 463, Bucarein)

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Entrevista: Carlos "Tomati", o guitarrista do Jô

Por Rafael Porto (http://www.alforria.net/)

Quarenta e três anos de idade, 38 dedicados à música. Este é Carlos Nascimento Tomati, mais conhecido como o 'guitarrista do Jô'. Mundialmente respeitado pela maneira como extrai melodias de seu instrumento, Tomati morou nos EUA em 1987 e estudou com grandes nomes da música, dentre estes Scott Henderson, Frank Gambale, Paul Gilbert e Joe Pass.

Não conhece ninguém? Calma. Tamanha dedicação - o brasileiro estudava 15 horas por dia - e talento foram reconhecidos por um dos mais famosos guitarristas do mundo: Joe Satriani. Em entrevista ao Programa do Jô, o americano fez uma jam com Tomati, que posteriormente foi elogiado no site oficial de Satriani. O que poucos sabem é que a vida de Tomati além do talk show ruma horizontes muito mais amplos. Seu flerte com o jazz, misturado às influências de música brasileira que o acompanham desde a infância - quando aos cinco anos ainda arranhava um Tom Jobim ao violão - deram sonoridade única às composições do artista. Mas nem só de poesias e harmonias sobrevive o ser humano.

No âmbito espiritual, o guitarrista, compositor, produtor e cantor fala abertamente de suas crenças e sua identificação com o Cristianismo - Tomati foi integrante do Katsbarnea por um ano. "Lord's Children", seu terceiro disco solo, lançado em 2005, é pouco conhecido. Uma pena, porque o álbum é - em minha opinião - o melhor instrumental cristão já lançado no Brasil e um dos melhores do meio secular. O disco funde rock, samba, jazz e black music. As guitarras realmente parecem falar, expressando sentimentos que algumas letras não conseguiriam externar. Entretanto, se engana quem pensa que as músicas cantadas soam fracas em meio ao disco. Ao contrário, as letras versam sobre amizade entre irmãos e amor a Deus de maneira peculiar. "Irmão, não devemos odiar, apenas amar uns aos outros. Perdoe minhas falhas e diga que continuamos irmãos", canta Tomati no melhor estilo de blues americano, entitulado Brotha. Ouça, encante-se e providencie seu disco o mais rápido possível. Confira a seguir, a entrevista dada pelo Tomati, ao Rafael do Alforria:

Alforria: Seu último trabalho, Lord's Children, fala de pontos essenciais do Cristianismo, como guardar a Palavra que Jesus ensinou. Você é um 'crente' frequentador de igreja ou prega por se identificar com a ideologia cristã?
Tomati: Esse ponto essencial que você citou, está na música "God is Love". A estória dela foi contada na revista [que acompanha o CD. Nela Tomati revela ter feito a canção para um festival de música gospel, que acabou não ganhando [veja o vídeo no YouTube]. Já frequentei igrejas, toquei em bandas, em louvores, conheço várias religiões, preguei para amigos e inimigos, etc. Minha intenção era fazer um disco com amigos músicos consagrados e da nova geração, em uma revista bilíngue que pudesse ser útil no aprendizado da língua norte-americana, com uma mensagem limpa e boa música, contando um pouco da minha trajetória profissional em fotos e textos escritos por mim. Um disco muito especial e ingênuo. Muita gente se identifica com a mensagem e muita gente não gosta. É só um ponto de vista. Eu gosto da música e do solo dela e isso é o que importa pra mim. Retrata uma época da minha vida e está registrada na sonzera.

Alforria: Para você, o que um bom guitarrista cristão precisa ouvir?
Tomati: Tudo. A música transforma, ensina, educa. Estudar é fundamental. A música é minha religião, nela vejo DEUS [sic].

Alforria: A música evangélica está absorvendo as mudanças da música secular. Hoje em dia, é raro achar uma igreja que não toque rock, por exemplo. Como avalia estas mudanças?
Tomati: Acho que é para atrair um publico roqueiro. Na Igreja Betesda, participei de louvores com belas composições do meu amigo Miguel Garcia, com muita harmonia de jazz, letras super poéticas e solos que talvez não alegrassem a roqueiros. E também é preciso rever o conhecimento musical dos levitas. Às vezes toca-se o rock na igreja para se parecer moderno, mas ao mesmo tempo com guitarras desafinadas sem o esmero musical, visando apenas o lado comercial. Isso não é legal. Eu percebo na hora e acho que outros músicos também. Rock'n Roll é uma religião por si só, um estilo de vida, não só um estilo musical. Com certeza tem muita eletricidade e isso vibra.

Alforria: Sofre preconceito por tocar música secular no 'Programa do Jô'?
Tomati: Quem tem pré-conceito deve rever seus conceitos. O Programa do Jô para mim tem sido como uma grande escola de teatro, iluminação, produção, humor, relações publicas e muito mais. Estou no programa há 11 anos e tenho muito orgulho do meu trabalho em uma das maiores emissoras de televisão do mundo, a Rede Globo. Além disso, também trabalhei um ano e meio no SBT.

Alforria: O que acha dos músicos que dizem tocar sem ensaiar, guiados apenas pela 'unção'?
Tomati: Só se toca sem ensaio quando se tem enorme intimidade com a música em questão. Não se faz isso em qualquer situação musical.

Alforria: Quando compõe suas canções, parte primeiro das letras, melodias ou harmonias?
Tomati: Das três maneiras. Cada música tem sua particularidade.
alforria: Está trabalhando em um novo disco? Quais são os planos futuros? Tomati: Preciso vender mais "Lord's Children" primeiro, para capitalizar. Ideias tenho de sobra, dá pra fazer mais uns cinco discos, mas como "Lord's Children" ficou um tempo nas bancas e saiu, sendo vendido agora só por mim e amigos que compram para revender, os lucros ficaram basicamente com a editora que apoiou o projeto e teve gastos com ele. Gravei mais um disco de música brasileira depois do LC com Michelle Spinelli, minha companheira, que nos rendeu alguns concertos em Nova York e a possibilidade de gravar clássicos de poetas e compositores da MPB e Bossa Nova, com belas interpretações na voz de Michelle e um instrumental fusion 'di catiguria'. Estou terminando um projeto de uma guitarra desenhada com o luthier Marcos Sanches 'Joker', que poderá ser visto esse ano no Programa do JÔ: a GT FU510N.

Alforria: Muito obrigado pela entrevista.
Tomati: Obrigado pelo interesse. Abraço a todos, Paz!

terça-feira, 5 de maio de 2009

"A Música Gospel Perfeita": protesto sem dó maior contra a falta de criatividade na música gospel brasileira

É visível (ou audível?) o processo de depreciação da música gospel brasileira. Banalização das letras, simplificação dos “arranjos”, uso abusivo de clichês, frases feitas e repetições, pasteurização do conteúdo, infantilização da teologia, mercantilização do Evangelho, vulgarização da cultura evangélica, desvalorização do cristianismo, hiperbolização das bênçãos e destituição do compromisso, putrefação de valores, decantação do ideal artístico, coisificação do louvor, institucionalização da mediocridade e tantas outras razões correlatas contribuem para o cenário de uma música rasa, enfadonha, ruim, previsível, pobre e inválida, que encarna em grande parte o espírito teológico contemporâneo.

Pensando contra a prosperidade da mesmice e da babaquice musical evangélica, internautas, sites, blogueiros e outros revoltados do mundo virtual e do mundo real assinam o projeto “A Música Gospel Perfeita”. A ideia é protestar, de forma criativa, irônica e interativa, contra a falta de originalidade na música gospel brasileira. Confira o texto integral do manifesto do movimento, publicado no dotGospel, e dê sua contribuição na busca da batida perfeita ao gospel nacional:

Depois de muito se revoltar com a música gospel no Brasil atualmente, alguns blogueiros e podcasters decidiram fazer alguma coisa a respeito e criaram o projeto A Música Gospel Perfeita. A idéia é protestar de forma bem humorada e interativa contra a, segundo os idealizadores do projeto, "falta de criatividade brasileira na hora de exercer esse dom de Deus: a música". O projeto funciona da seguinte forma: todos os participantes e voluntários montarão juntos desde a estrutura, tema e etc, até a letra e o "espontâneo" que conterá na Música Gospel Perfeita através de posts e comentários em um blog.
Para saber se vai realmente acontecer, o projeto ainda está em fases de testes, mas o número de pessoas que já demonstraram que irão apoiar o movimento é grande, a maioria deles blogueiros evangélicos e até ateus, espalhados por todo o Brasil. A fase atual pede para que os fãs comentem no primeiro post sobre o projeto e deem sugestões para a empreeitada, que sonha em, talvez, até gravar um clipe com os participantes. Se você quiser participar ou conferir a busca pela Música Gospel Perfeita, acesse:
http://www.dotgospel.com/blog/a-musica-gospel-perfeita-teste/.

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Em outras palavras... (8)

O fetiche da velocidade:

By Laerte

Related Posts with Thumbnails
Creative Commons License
O blog Amplificador, de [jb] João Batista, está sob uma licença Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 3.0 Brasil License.
Based on a work at Blog Amplificador.
Permitida a reprodução, total ou parcial, desde que citada a fonte e o autor, exceto para uso com fins comerciais.

Amplificador © 2008. Template by Dicas Blogger.

TOPO